18/12/2017

Coren-PE realiza Desagravo Público no Hospital Agamenon Magalhães

O intuito do Coren-PE é promover uma reparação moral à profissional ofendida no ambiente de trabalho e reforçar o compromisso do conselh ...

Após análise e julgamento, o Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren-PE), aprovou  a realização de Sessão de Desagravo Público em favor da enfermeira  Edriana Alves Tenório, realizado nesta sexta-feira (15/12) em favor da enfermeira Edriana Alves Tenório, no auditório do Hospital Agamenon Magalhães.

O encontro contou com a presença da presidente do Coren-PE Dra. Marcleide Cavalcanti, da vice-presidente Neide Silvério, da tesoureira Luciana Aguiar, da conselheira Morgana Leal, do conselheiro Lucimauro Dantas, e da presença de familiares, amigos e representantes da Direção do Hospital.

O desagravo foi mediado pela conselheira do Coren-PE Morgana Leal e teve o relato do fato em questão lido pelo conselheiro Lucimauro Dantas que, na ocasião, explicou que a profissional Dra. Edriana Alves foi desrespeitada em suas prerrogativas profissionais pelo Sr. Rui Ferreira, médico do Hospital Agamenon Magalhães.

Na ocasião, a presidente do Coren-PE Dra. Marcleide Cavalcanti destacou que este era mais um dia representativo de luta pela enfermagem. “Um dia de defender os direitos dos profissionais de enfermagem. E, enquanto presidente do Coren-PE venho a público na tarde desta sexta-feira reafirmar o nosso compromisso com a enfermagem e afirmar categoricamente que repudiamos vigorosamente posturas que atentem contra o livre exercício da profissão, mantendo-nos firmes no sentido de coibi-las e garantimos que iremos adotar todas as medidas que estiverem ao nosso alcance para sanar abusos como o cometido contra a enfermeira Edriana Alves”, pontuou a presidente Dra. Marcleide Cavalcanti.

“Estou aqui por, simplesmente, ter recebido um tratamento desrespeitoso e, diria, ofensivo, de um “profissional” de nível superior que até a presente data sequer teve a hombridade de reconhecer o erro e se desculpar. Enfim, gostaria de deixar bem claro que é obrigação do profissional da enfermagem ou de quaisquer outras áreas não aceitar ser desrespeitada e não tomar providências devido ao medo de represálias e receio de perder alguma gratificação ou mesmo acomodação. Todos temos direitos e deveres, logo, atitudes desprezíveis como a deste médico e que gerou tal ato de indignação gera em minha pessoa o direito de atuação das autoridades competentes para impedir que situações como essas não se tornem corriqueiras pela impunidade. É meu dever de profissional da área de saúde como, também, de cidadã, de acionar tais autoridades para que não se repita fatos semelhantes com outros profissionais”, desabafou a enfermeira Dra. Edriana Alves.

O intuito do Coren-PE é promover uma reparação moral à profissional ofendida no ambiente de trabalho e reforçar o compromisso do conselho com a Enfermagem e o livre exercício da profissão.


Fonte: Ascom Coren-PE