19/10/2022

Coren-PE solicita criação de dois novos cargos na segurança pública estadual

Conselho espera que cargos sejam incluídos no edital do próximo concurso da Polícia Científica.

Solicitação foi resultado de um levantamento realizado pela CEEF

O Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren-PE) encaminhou ao Governo do Estado, nesta quarta-feira (19), um documento solicitando a inclusão de dois novos cargos no edital do concurso público para a Polícia Científica estadual, que deve ser lançado até o fim do ano. O Coren-PE pretende que sejam abertas vagas para enfermeiro forense e perito criminal na área de enfermagem. O texto que será entregue ao poder executivo traz informações de um levantamento realizado pela Comissão Estadual de Enfermagem Forense (CEEF) do Coren Pernambuco, que aponta a importância da inclusão desses profissionais de forma efetiva no setor da segurança pública estadual.

Um dos trechos do documento detalha que, “cabe ao enfermeiro forense o exame e tratamento de vítimas de estupro e de vítimas de violência doméstica. Ele faz o exame físico com coleta de evidências, documentação completa da ocorrência e dos achados, preservação das evidências, tratamento físico e assistência psicológica à vítima, além do encaminhamento para serviços especiais e serviço médico quando necessário. Também presta assistência aos ofensores quando necessário”.

“O enfermeiro forense contribui com a humanização nos centros de criminalística e medicina legal, pois traz o atendimento humanizado para as vítimas ou para os familiares, em caso de morte. Ele deve executar o acolhimento, atender a identificação e o diagnóstico, além de orientar e promover os encaminhamentos apropriados especiais, garantindo a coleta e preservação dos vestígios, que muitas vezes não precisaria aguardar um profissional médico para fazer isso. O enfermeiro forense está apto, segundo resolução do Cofen (556/2017), para fazer isso com garantia de qualidade e de forma humanizada”, ressalta a coordenadora da CEEF, Drª Carmela Alencar.

No último concurso para a Polícia Científica de Pernambuco (2016), foram abertas vagas para peritos em 16 especialidades diferentes, nenhuma delas para enfermeiro. As únicas vagas que contemplavam a categoria eram para peritos auxiliares. Segundo resolução do Conselho Federal de Enfermagem, o perito criminal enfermeiro está apto a reconhecer a existência de eventuais vestígios e a forma de preserva-los adequadamente, além de ter competência específica na descoberta de detalhes que, muitas vezes, não são observados por aqueles que não estão familiarizados com a área forense.

A provocação de incluir novos cargos no concurso da Polícia Científica estadual partiu do presidente do Coren-PE, Drº Gilmar Júnior, primeiro enfermeiro a coordenador um curso de especialização de enfermagem forense no Brasil. A área ganhou notoriedade em todo mundo, após ser adotada pela polícia científica dos Estados Unidos, ainda na década de 1990, contribuindo com a elucidação de vários crimes. “A enfermagem forense é uma área importantíssima para a categoria no mundo inteiro, especialmente na Europa e EUA. Nós precisamos valorizar essa especialidade que foi regulamentada aqui no país em 2016 e buscar campos de trabalho para que esses profissionais possam exercer essa expertise”, ressalta Drº Gilmar Júnior.


Fonte: Ascom: Coren-PE