17/04/2023

Encontro de Gestão em Enfermagem lota auditório do BNB, na Boa Vista

Evento promovido pelo Coren Pernambuco reuniu profissionais e estudantes e debateu o aprimoramento na gestão e liderança.

Mesa de abertura do 1º EPGE. Evento debateu temas como os desafios da gestão e da liderança.

Uma enfermagem empoderada e focada na gestão. Esta foi a mensagem central do 1º Encontro Pernambucano de Gestão em Enfermagem (EPGE), que reuniu, na última sexta-feira (14), estudantes e profissionais, no auditório do Banco do Nordeste, no bairro da Boa Vista, área central do Recife. Com o tema: “Gestão, liderança: impactos para a enfermagem do século XXI”, o evento promovido pelo Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco, por meio do Sistema de Ensino Lavoisier (SEL) em parceria com a Câmara Técnica de Gestão em Enfermagem, apresentou e debateu os novos desafios para os profissionais do setor.

A mesa de abertura foi composta pelo coordenador da Câmara Técnica em Gestão em Enfermagem, Dr. Richard Caúla, pela Conselheira e coordenadora do SEL, Drª Suzana Costa, e pela Conselheira e Coordenadora da Comissão de Assessoria ao(à) Enfermeiro(a) Residentes e Pós-Graduando(a), Drª Aracele Cavalcanti. Durante as falas de abertura, os integrantes da mesa diretiva ressaltaram a importância do encontro. “O 1º EPGE tem uma relevância ou importância tremenda, por trazer todas as interfaces da gestão para os enfermeiros, técnicos e auxiliares, ou seja, para todo o corpo de enfermagem de Pernambuco. Quando a gente começa a discutir processo de gestão e performance o impacto é sempre positivo, seja para família do paciente, para os profissionais da enfermagem e até para os próprios gestores”, destacou Dr. Richard Caúla.

Evento reuniu profissionais e estudantes no auditório do BNB, no Recife.

A programação do EPGE contou com palestras que abordaram temas variados, como gestão de alto impacto no mercado de trabalho, os desafios enfrentados na gestão sustentável e nos processos de acreditações, a importância da comunicação, inteligência emocional, o uso das novas tecnologias em prol da gestão, entre outros.

“O mundo do trabalho está cada vez mais exigente e, graças a encontros como esse, é possível ter a perspectiva de um corpo de enfermagem cada vez mais especializado, cada vez mais pronto para essas interfaces que trazem as dificuldades e soluções. Então, precisamos de soluções cada vez mais assertivas, pautadas em ferramentas de alta performance ou de melhor performance. Um dos impactos é trazer essa relevância e o resultado para atender ao mundo do trabalho e suas expectativas”, pontou Caúla. Ainda segundo ele, “o EPGE superou todas as expectativas, desde a divulgação, que esgotou em 20 minutos até a execução que ocorreu de forma incrível”.

 

Fotos: Fábio Cadengue