21/12/2022

Integrantes da CEEF visitam Centro Sony Santos

Espaço funciona no Hospital da Mulher do Recife e oferece atendimento à mulher vítima de violência.

Equipe da CEEF foi recebida por representantes da gestão do Centro Sony Santos

Representantes da Comissão Estadual de Enfermagem Forense (CEEF) do Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco (Coren-PE) estiveram nesta terça-feira (20), no Centro de Atenção à Mulher Vítima de Violência – Sony Santos, espaço que funciona nas dependências do Hospital da Mulher do Recife, no Curado. Os integrantes da CEEF se reuniram com os gestores do local e conheceram as dependências do centro, os serviços oferecidos e apresentaram aos profissionais os detalhes da Resolução Cofen 700. O texto estabelece as normativas técnicas da enfermagem forense, além de trazer as competências para os enfermeiros generalistas que possam atuar frente às violências e as específicas para os enfermeiros forenses.

“Assim que chegamos, fomos surpreendidos com a informação de que os representantes do Centro Sony Santos já tinham conhecimento sobre a enfermagem forense e que o quadro de funcionários já chegou a contar com uma enfermeira no papel de generalista no atendimento às vítimas, mas que tinha especialização na enfermagem forense. Mas apesar disso, ficou claro que ainda falta muito para que esse serviço tenha o espaço necessário para ser desenvolvido na unidade”, explicou a Coordenadora da CEEF, Drª Carmela Alencar.

O Centro Sony Santos foi inaugurado em 2016 e oferece atendimento de saúde e psicossocial a mulher vítima de violência física e/ou sexual. Mesmo assim, na opinião da Coordenadora da CEEF, o centro de referência carece de um atendimento mais humanizado a essas mulheres. “Embora o serviço faça atendimento especializado, acolhimento às vítimas, e possua profissionais que trabalham com abordo previsto em lei, não existe o processo coleta e recolha de vestígios. Então, procedimento é incompleto, nem profissionais médicos, nem os enfermeiros fazem. E todas as vítimas que precisam passar por esse processo precisam ser encaminhadas para o IML (Instituto Médico Legal) e para a delegacia de polícia, onde é prestada queixa.

Ainda segundo Drª Carmela Alencar, representantes da Comissão farão uma nova visita em breve. “Eles ficaram de avaliar a possibilidade de implantar a Resolução Cofen 700 e é importante que a gente tente abrir esse espaço de diálogo, para que possamos implantar o serviço do espaço forense”, ressaltou.

Já o presidente do Coren-PE, Dr. Gilmar Júnior, ressaltou o trabalho do grupo, que visa o desenvolvimento e fortalecimento da enfermagem forense no estado. “Estamos muito felizes com a atuação da CEEF no fortalecimento dessa especialidade da enfermagem e na importância de mostrar a sociedade o seu campo de atuação. Os enfermeiros forenses são extremamente reconhecidos e valorizados no mundo inteiro e estamos trabalhando para que esse reconhecimento também ocorra em Pernambuco e em todo o Brasil”, concluiu.


Fonte: Ascom: Coren-PE